Programa de recolhimento de cães precisa de colaboração da população

Leitores, o título e o texto abaixo foi encaminhado pela assessoria de imprensa da prefeitura:
O programa pioneiro de recolhimento de cães, iniciado no município, em 2006, através de licitação vencida pela clínica veterinária Clinvet, retirou das ruas, até o mês de junho deste ano, 1.592 cães e gatos.

Para o responsável técnico, o médico veterinário da Clinvet, Édio Souza de Oliveira, o número bastante expressivo demonstra também uma falta de cuidado bastante alarmante da comunidade. “Imagine este número de animais se reproduzindo e sem controle de doenças. As pessoas têm que se conscientizar e evitar o abandono dos animais”, destaca.

Segundo Édio, se o comportamento das pessoas não mudar, ficará cada vez mais difícil de dar andamento ao controle de animas. “Temos espaço físico e verba limitados, mas, se contarmos com o apoio da população, fica mais fácil trabalhar e todos saem ganhando”.

Como funciona o projeto:

A Clinvet recolhe os cães e gatos das ruas e realiza cirurgia de castração em cada um. Diariamente, o canil é limpo e desinfetado e os animais são alimentados por um funcionário da clínica, que, além de alimentá-los, atende o público que visita o canil localizado no prédio da antiga ICC.

Os animais podem ser adotados no local e nas feiras de adoção realizadas na cidade. Quem adota assina um termo de responsabilidade e, ainda, quando for um filhote, o adotante tem direito a castrar o animal quando este atingir a idade adequada.

A Prefeitura também oferece um serviço de cadastro para a castração gratuita de animais em comunidades carentes, que é feito pelos agentes de saúde. A Clinvet, então, agenda, pega o cão ou o gato em casa, castra e, no dia seguinte, devolve ao dono, com medicação e orientação para o pós-operatório.

O resultado:

Com esse trabalho buscam-se o controle populacional desses animais e o de zoonoses (doenças transmissíveis dos animais para o homem e vice-versa), como pulgas, bicho do pé, verminoses, sarnas, micoses, bicho geográfico, hepatite, leptospirose, leishemaniose, toxoplasmose, raiva e outras.
Leitores, esse programa é importantíssimo para a cidade, que evita a proliferação de animais nas ruas.
Estima-se que a população canina no mundo está na ordem de 600 milhões de animais, sendo que o Brasil ocupa o 2º lugar entre os países que mais possuem cães. (fonte: site da Unicamp)

Já ouvi turista dizendo que nunca viu uma cidade com tantos cachorros como Imbituba, em comparação com o número de habitantes. Claro que esse turista já deve ter visto uma, mas que Imbituba tem cachorros demais isso é uma verdade.
E essa proliferação é promovida pela própria população, que adora criar um cachorrinho na rua.

A foto acima demonstra bem o problema. Moradores, há muito tempo, construíram sobre o que deveria ser um canteiro divisor de vias públicas duas casinhas para proteger alguns dos cães que perambulam pelo local. Dão água, alimentam os animais e promovem uma cena lastimável para uma cidade que sonha em viver do turismo.
As casinhas estão situadas na Avenida Santa Catarina, no bairro Paes Leme.

16 comentários:

  1. Esse programa deveria se estender também aos bairros, pois moro em Nova Brasília e ainda não vi a carrocinha da Clinvet recolher os cães e gatos que andam soltos na rua , pois a quantidade de animais é grande, e cada dia aparece mais.
    A prefeitura deveria, através do responsável pelo projeto, realizar palestras em todas as comunidades sobre o assunto.
    As pessoas têm que ter consciência que cachorro se cria no quintal e não na rua.

    ResponderExcluir
  2. Leitor(a), concordo com a realização de palestras nas comunidades, mas o problema será quantas pessoas participarão. Eu penso que deveriam distribuir panfletos informativos e divulgar uma data para recolhimento de todos os cães. Quem não prender seu cão ficará sem ele.
    Quanto ao não aparecimento da carrocinha em Nova Brasília, acredito que é necessário solicitar, pois animais nas ruas têm em todos os bairros do município, basta transitar para ver.
    Acredito, também, que o serviço não é completo por falta de espaço no canil.

    Sua reclamação está postada, porém não sei se alguém da Clinvet vai tomar providência.

    ResponderExcluir
  3. A clinvet esta de parabens, pois aqui na minha Rua foi deichada Uma cachorrinha com 6 filhotes, sendo que 2 morreram por ficarem na chuva e no friu, eu então liguei pro celular do veterinario responsavel e ele prontamente atendeu meu chamado, concordo com eles as pessoas deviam se concientivar e para de ficar abandonando os pobre dos animais, se não querem mais ou por algum motivo não tem mais condição de cuidar, fala com o responsavel pelo canil,e entrega pra eles por que la eles podem ter a chance de encontrar um lar, o pobre dos animais não tem culpa da crueldade dos humanos, as vezes as pessoas são mais animais do que os proprios bicho....

    ResponderExcluir
  4. Eliane, o serviço não poderia ser apenas o de recolher quando solicitado. Seria mais eficaz se houvesse um veículo que percorresse as ruas do município e recolhessem os animais. Mais eficaz, ainda, se os proprietários fossem autuados e obrigados a pagar a multa junto com o carnê do IPTU, pois entendo que as fezes dos animais e o lixo espalhado por eles é uma questão vinculada à limpeza pública, para a qual pagamos uma taxa.

    Obrigado por sua participação.

    ResponderExcluir
  5. Prefeituras implantam chips em cães para evitar abandono e maus-tratos


    Para evitar abandono, maus-tratos e furto, prefeituras pelo país estão aderindo ao implante de microchips em cães. Em Florianópolis (SC), cem animais receberam o dispositivo na quarta-feira (28).
    O chip ainda não é obrigatório, mas todos os cachorros que saem do Centro de Zoonoses da cidade recebem o equipamento –que é menor que um grão de arroz.
    A partir do início do próximo ano, todos os cães que passarem pelo centro receberão a peça, onde constam informações do animal e de seu proprietário.
    No início deste ano, um projeto de lei que prevê a obrigatoriedade do chips em todos os animais domésticos foi encaminhado para a Câmara Municipal de Florianópolis. Medidas parecidas também estão sendo tomadas em Curitiba e no Rio Grande do Sul.
    Para a diretora de Bem-Estar Animal da Prefeitura de Florianópolis, Maria da Graça Dutra, o abandono de animais é uma questão “calamitosa” e uma das medidas para inibi-lo é a identificação eletrônica dos donos. Uma vez constatado o abandono, o responsável pode ser punido com multa e até prisão.
    “Não revelamos onde o chip está sendo implantado porque existem pessoas más que podem tentar tirá-lo da pele do cão”, disse Dutra.
    No rio Grande do Sul, já dispõe em alguns lugares onde os animais deverão receber obrigatoriamente e permanente Idendentificação individual através de transpuser (micro- chip)P)ara uso animal por Médico Veterinário habilitado e deverão ser registrado junto ao centro de Vigilância Sanitária Ambiental e bem estar do animal.
    PARAGRAFO ÚNICO: Estende-se animais domésticos ,todas as espécies caninas. Felinas,eqüinas,muar,e asinina de tração ou não.
    Eu acredito que se por em pratica, não vão ter fazer tanta EUTANASIA. Isto dói.

    ResponderExcluir
  6. Maus tratos, DENUNCIE
    Se você conhece um bichinho que vive acorrentado, é espancado pelo dono, privado de alimento ou não recebe assistência veterinária, saiba que tudo isso é crime e ele precisa da sua ajuda para ter uma vida mais digna
    Submeter um animal a maus-tratos é crime previsto no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal nº 9.605) e pode acarretar em multa ou pena de três meses a um ano de prisão. Denunciar é simples e quem procura ajuda não fica exposto à represálias do agressor.
    De acordo com o artigo 3 do Decreto Federal 24.645/34 caracteriza-se por maus-tratos manter o animal trancado em lugares pequenos, anti-higiênicos ou preso a correntes, golpear ou mutilar o animal, não prestar assistência veterinária adequada ou usá-lo em shows que causem pânico ou estresse. Envenenar e abandonar animais também são atos criminosos.
    O que fazer
    O primeiro passo é reunir a maior quantidade de provas possível. Fotografias, vídeos, laudo ou atestado veterinário, placa do carro de quem agride ou abandona e até testemunhas. Tudo o que sirva para mostrar a situação do animal e ajude a identificar o agressor.
    Em seguida procure a delegacia mais próxima e faça um Boletim de Ocorrência (BO). Por garantia, leve com você uma cópia da Lei de Crimes Ambientais (disponível no site http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L9605.htm) ou tenha escrito o número da lei e o que diz o artigo 32*.
    O policial que ouvir o seu relato deverá instaurar um inquérito ou lavrar um Termo Circunstanciado (TC). Caso ele se negue a fazê-lo estará infringindo o Código Penal (artigo 319, crime de prevaricação). Na dúvida, e porque é seu direito, peça para falar com o delegado.
    No Brasil os animais são “sujeitos de direitos”, tutelados pelo Estado e representados em juízo pelo Ministério Público. Portanto, você não será autor do processo judicial que for aberto a partir da sua denúncia. Depois de concluído o inquérito para apuração do crime, ou elaborado o Termo Circunstanciado, o delegado o encaminhará para abertura da ação, na qual constará o Estado como autor.
    São considerados maus-tratos abandonar, espancar, envenenar, não dar comida diariamente, manter preso em corrente, local sujo ou pequeno demais os animais domésticos, entre outras práticas.
    Como denunciar?
    Para que uma denúncia possa ser feita, são necessários dados do agressor, para que a queixa possa ser formalizada. Vale o endereço residencial ou comercial. Em caso de atropelamento ou flagrante de abandono, é prudente anotar a placa do carro para posterior identificação no Detran.
    A partir da recolha dos dados, a Polícia Militar pode ser acionada pelo telefone 190. Cabe à autoridade policial verificar a ocorrência. A delegacia do bairro também pode ser procurada para registro do Boletim de Ocorrência ou Termo Circunstanciado.
    Outra opção é procurar a Promotoria de Justiça e protocolar uma representação, que é o relato formal dos fatos ao Promotor Público de Justiça que, ao tomar conhecimento dos fatos, poderá requisitar diretamente a investigação policial.
    A Associação Protetora de Animais São Francisco de Assis disponibiliza o endereço eletrônico denuncia.animais@itelefonica.com.br para a formalização de denúncias, que serão acompanhadas pela entidade.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns Edinho, te conheço a muito tempo, e sei que de competencia., Bem nem preciso falar maids. tudo foi dito.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Em primeiro lugar quero pedir desculpas pelos erros de digitação.
    Quero dizer que a lei existe, o que falta é atitude das pessoas, ter pena não ajuda os animais .O que ajuda são as denumcias e a POLICIA fazer a parte dela.Eles nem conhecem a lei. cada BO que faço tenho que levar a lei. Ja deixei Na delegacia uma cópia das leis de proteção aos animais.
    Os cachorros estão na rua, e não podem, mas o que eu acho ainda pior são estes carroceiros , que todos verem os maus tratos eninguem denuncia. animais de tração tem horario para descanso e comer.
    Vemos estes obsos sentado em uma carroça que ja esta lotada, e o cavalo seco muito magro com sede as vezes até sangrando, e eles acham que estão em carro, este ainda tem que pagar a gazolina.
    Carroceiros em frente a bares bebendo , só saim bebados altas horasda noite e cavalo na frente do bar com o freio puxado para não se mexer.
    Sinceridade eu neste momento queria ser a lei, colocar este indiduo com freio e atrelado a carroça com o cavalo sentado no banquinho e fazer este marginal puxar a carroça.
    Tudo acontece devido aos cidadãos não fazerem a lei se cumprir.
    Vamos ser mais generosos.
    Qdo vejo o planeta dos macacos, o filme, Sinceramente Eu gostaria que acontece, para que o ser humano deixasse de ser animal e fosse mais humano.
    Somos animais que falamos e nos defedemos, enquanto usamos os animais que não tem defesa para uso pessoal.
    Agora bem pouco tempo um rapaz colocou gazolina em cavalo e ateou fogo, este cavalinho esta conhecido como queimadinho. A policia montada conseguiu salvar, ele esta com quase o corpo todo queimado, esta sendo tratado por veterinarios da policia e ja esta bem melhor. Eles o consideram um vitorioso.
    Se a policia prender uns dois por maus tratos eu garanto que vai evitar este monte de cachorro na rua. e as multas tem que ser maiores. cavalo solto, a prefeitura prende o dono vai la e paga 20.00.Ontem mesmo chamei alguem para buscar um cavalinho desnutrido judiado que estava comendo lixo das casas. Esta é a hora , qdo o dono for buscar indiciar por maus tratos. Eu fico muito revoltada, pq a maioria ta preocupada com o co^co do cachorro dos lixos revirados , mas não fazem nada , para que a lei se cumpra. Qto mais pobre mais cachorro, e tu vai na casa destas pesoas além do cocô do cachorro tem o das pessoas. vamos mudar nosso modo de pensar. Os culpados somos nós , a Sociedade de modo geral. Ninguem fal nada qdo a madame leva seu Pudo para fazr suas necessidades em canteiros e calçadas, até mesmo para as praias. Só ouço falar que lindinho!. ta certo?

    ResponderExcluir
  9. Ontem foi assinada na Catalunha Espanha, a lei que proibe as touradas.
    Foi uma grande vitória para nós que amamos os animais.
    Fruto de uma “Iniciativa Legislativa Popular” apoiada por 180 mil assinaturas, o texto recolheu o voto de 68 deputados.
    É uma luta de muito tempo contra o sadismo do povo espanhol em maus tratos aos touros. Para se ter uma idéa, na Espanha a tourada é como futebol para o Brasil.
    Mas v4encemos. Pq aqui não vamos vencer os maus tratos aos nossos animais.
    Estamos cobrando da policia estadual afarra do boi em Florianópolis,mas precisamente no Município de Celso Ramos, Onde a lei teima em não ser cumprida.Achamos um descaso do governo do Estado em deixar apenas dois policiais contra uma população inteira que gosta do sadismo.

    ResponderExcluir
  10. Marlene, assim que começaram a proibir a farra do boi em Santa Catarina e a mídia nacional passou a criticar nosso Estado, vi essas críticas como uma grande hipocrisia. Enquanto mostravam as cenas da farra do boi como crime bárbaro, apresentavam as touradas e a festa de São Genaro como grandes eventos mundiais. Ou tudo é crime ou nada é proibido.

    ResponderExcluir
  11. Enfim, uma política de governo para combater a proliferação de cachorros e gatos nas ruas. Que seja aprovado com a urgência que o caso requer. Leia neste link: http://migre.me/14OLv

    ResponderExcluir
  12. Obrigada pela noticia, eu ja estava a par.Prabéns ao deputado Affnso Camargo(PSDB)Sempre o Paraná é modelo de tudo que é bom.
    Meus pêsames ao ex deputado, hoje vereador de Sapucaia do Sul,RGS.
    Acredito que faça parte de algum tipo de magia negra.. só pode.

    APROVADA LEI QUE PERMITE TORTURA DE ANIMAIS.

    O Deputado Edson Portilho, do Rio Grande do Sul, teve a desventura de criar um projeto de lei que permite que os animais sejam torturados e sacrificados em rituais religiosos.

    O parlamentar, sabendo que os protetores dos animais se
    manifestariam, fez a seguinte trama: marcou a apresentação para
    votação da lei num dia de julho, mas fez um chamado urgente e
    marcou a reunião às pressas, mais cedo. Os únicos avisados foram os demais deputados.
    Ou seja: não havia defesa.
    Os animais não tiveram oportunidade de ter pessoas que os
    representassem. Quem poderia responder por eles? E aconteceu o que mais temíamos: houve 32 votos contra os animais e apenas 2 a favor.
    Os animais agora poderão ter olhos e dentes arrancados e cortados em vários pedaços para fazer o tal Banho de Sangue. Os animais que não servem mais para o ritual são mortos a sangue frio, conscientes e sem qualquer anestesia.
    Por isso, vamos garantir que o deputado nunca mais consiga se
    reeleger. Divulgue, para que Edson Portilho não se eleja para mais
    nenhum tipo de cargo.
    ASSINE a favor da defesa da vida animal
    Ajudem a Lei de proteção animal:
    ''É rapido, so preencher o formulario no link abaixo''
    -
    http://www.leideprotecaoanimal.com.br/
    Não podemos deixar uma barbaridade dessas assim.
    Precisamos de 500 MIL assinaturas
    è só preencher o formulário e enviar.
    AJUDE E DIVULGUE

    ResponderExcluir
  13. Eu seria mais prático. Se nos concentrar somente em resolver os problemas de cães e gatos de Imbituba já estaria muito bom :).

    Um abraço,

    CPJ

    ResponderExcluir
  14. Com certesa sr. Candido, estou concentrada aqui no nosso municipio.
    O problema que envolve cães e gatos e outros animais, aqui tbm. Agora deixar um imbecil fazer uma lei para magia negra, e outros da mesma corja votarem em algo que vem matratar os animais.Jamais vou calar.
    Acho a lei da castaração, muito boa, mas que seja cumprida, tenha fiscalização.
    Claro que nossa cidade tem que ser feito algo, com o tempo a população de cães e gatos vai ser enorme, Obrigando todos a castrarem seus cães e gatos, tudo vai melhorar, aqueles que não fizerem ter uma grande multa, muda. Pq qdo mexe no bolso o povo não se concientisa,mas o dinheiro faz falta.
    Tbm concordo contigo Pena, farra do boi e torada todos vemos que é maus tratos , por istos as associações protetoras dos animais estão fazendo abaixo assinado e mandando emails dirreto. Para que acabe esta barbaridade , ñão só na Espanha mas no México, ode os meninos são treinados desde pequenos a matar o boi. Apesar da proibição de menores neste tipo , que dizem esporte.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  15. MUNDO! E MINHA ARTE,

    Fica em paz. Entendo e sou solidário com sua indignação sobre este projeto de lei macabro de autoria do desventurado Deputado Estadual Edson Portilho, do PT do Rio Grande do Sul, que infelizmente acabou aprovado pela Assembléia Legislativa Gaúcha, lá pelos idos de 2004.

    Realmente, é estarrecedor e lamentável a criação deste Projeto de Lei Estadual/RS n. 282/2003 em que tornava permitida a tortura de animais quando parte de “cultos e liturgias das religiões de matriz africana“.

    Mais lamentável ainda, foram os artifícios utilizados para sua aprovação. A votação estava marcada para o terceiro quadrimestre de 2004, mas Edson criou um regime de urgência, em uma manobra injustificável que retirou a voz de qualquer oposição.

    Após uma votação de 32 contra 2 votos, seres vivos podem desde então serem mutilados e feridos e suas vidas podem ser, simplesmente, descartadas uma vez não sirvam mais para o ritual.

    Acredito ser esta lei uma coisa de maluco, aprovada num momento de insanidade da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, a qual por seu descabimento tem de ser revogada.

    Um abraço,

    CPJ

    ResponderExcluir
  16. 15.000 cachorros de rua!

    Parabens para a Clinvet!
    Mas uma pesquisa feita em 2007, junto à prefeitura disse que Imbituba tinha em 2007 (hoje não sei?) mais de 15.000 cachorros de rua!!
    Quantos mais nas casas dos Imbitubenses?
    Existem portanto mais cachorros do que gente na cidae!
    Os números deveriam ser fornecidos corretamente para os Imbitubenses entenderem realmente o que está acontecendo!

    ResponderExcluir

Seu comentário não será exibido imediatamente.

Para você enviar um comentário é necessário ter uma conta do Google.
Ex.: escreva seu comentário, escolha "Conta do Google" e clique em "postar comentário".

Caso você deseje saber se seu comentário foi respondido ou se outros leitores fizeram comentários no mesmo artigo, você poderá receber notificação por email. Para tanto, você deverá estar logado em sua conta e clicar em Inscrever-se por email, logo abaixo da caixa de comentários.

Eu me reservo ao direito de não aceitar ou de excluir parte de comentários que sejam ofensivos, discriminatórios ou cujos teores sejam suspeitos de não apresentar veracidade, ainda que o autor se identifique.

Comentários que não tenham qualquer relação com a postagem não serão publicados.

O comentarista não poderá deletar seu comentário publicado sem que haja justificativa relevante. Caso proceda assim, republicarei o teor deletado.


As regras para comentar neste blog poderão ser alteradas a critério do editor, o qual também poderá deletar qualquer comentário publicado, mediante justificativa relevante, sem prévio comunicado aos leitores/comentaristas.

Você assumirá a responsabilidade pelo teor de seu comentário.
Este espaço é livre e democrático, mas exerça sua liberdade com responsabilidade e bom senso!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2012 Pena Digital.