Hoje haverá a 11ª sessão da câmara de vereadores de Imbituba, e na pauta constam requerimentos do vereador Luís Antônio Dutra (PSDB) que chamam a atenção; não tanto pelo conteúdo deles, mas pelas justificativas apresentadas.
Abaixo, transcrevo os três requerimentos e suas respectivas justificativas:

Requerimento 019/17

"Requer que seja oficiado o Excelentíssimo Prefeito Municipal, Senhor Rosenvaldo da Silva Júnior, para que o mesmo remeta à Câmara Municipal de Imbituba cópia de todos os processos de contratação realizados com dispensa de licitação, referente ao período de janeiro de 2017 a março de 2017."

Justificativa: "O vereador que a este subscreve tem necessidade de analisar a regularidade destes processos."

Requerimento 020/17

"Requer que seja oficiado o Excelentíssimo Prefeito Municipal, Senhor Rosenvaldo da Silva Júnior, para que o mesmo remeta à Câmara Municipal de Imbituba informações sobre o Processo 14979/2016 que estava sob a sua guarda."

Justificativa: "Este vereador necessita da resposta acima e de cópia dos documentos referidos, a fim de conhecer o resultado daquele processo licitatório."

Requerimento 021/17

"Requer que seja oficiado o Excelentíssimo Prefeito Municipal, Senhor Rosenvaldo da Silva Júnior, para que tome as devidas providências junto à Secretaria Municipal de Educação, para o envio à Câmara de Vereadores das cópias de todos os contratos que envolvam a relação de classificados no processo seletivo de vagas de professores habilitados para séries iniciais, realizados por esta gestão, inclusive dos contratos das dobras de carga horária."

Justificativa: "Este vereador necessita da cópia dos referidos contratos, vez que lhes foi informado de possível irregularidade cometida na chamada destes profissionais."

Em contato com o vereador Luís Dutra, via whatsapp, ele me disse que o processo 14979/2016 refere-se à "licitação da creche de Alto Arroio", que ele devolveu "o dinheiro para Jaison". Disse Luís: "ele (Jaison) licitou e deixou para o Rosenvaldo homologar e realizar. Porém, tenho informações de que cancelaram a licitação e quero ver qual a justificativa, pois estão buscando uma casa para alugar. Então, existe necessidade da licitação. Assim, acredito que não deveria ser cancelado o processo."
O vereador complementou dizendo que quer saber se cancelaram mesmo ou não o processo de licitação.

Atualizado após a sessão de hoje: todos os requerimentos foram rejeitados por maioria. Votaram a favor o proponente e os vereadores Elísio Sgrott (PP), Clésio Costa (PP), Fernando Ancelmo (PSDB) e Michela Freitas (PSDB). Anderson Teixeira não compareceu à sessão e o presidente da câmara não vota. Os demais vereadores votaram contra.
O vereador Eduardo Faustina (PT), líder do governo, argumentou que, primeiramente, o vereador Luís Dutra deveria apresentar administrativamente seus requerimentos, e, caso negados, apresentasse seus pleitos ao plenário da câmara.
Essa contestação de Eduardo Faustina era também usada pela situação, na legislatura anterior.

Transporte público em Imbituba


Você sabe mesmo como funciona o transporte público em Imbituba? Não, você não sabe! Só pensa que sabe! Acesse este link e saberá coisas que nunca foram ditas a você, porque o populismo é a regra na política brasileira.

O "Amigo"


Marcelo Odebrecht afirmou que "Amigo" era o codinome de Lula na lista de propina da Odebrecht. Com um amigo desse, o Brasil não precisa de inimigos!

O Mentiroso


"Um dia após Marcelo Odebrecht (...) afirmar que o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o "amigo" registrado na planilha de propinas milionárias da empreiteira e que teria repassado quase R$ 13 milhões em espécie, o petista disse que é vítima de "vazamentos mentirosos" todos os dias. Em entrevista à Rádio Meio Norte, do Piauí, ontem, Lula falou estar disposto a ser presidente nas próximas eleições. (...)
O ex-presidente não citou diretamente o depoimento de Marcelo, mas disse que há três anos é vítima de especulações sobre suposto envolvimento ilícito com empresários e reafirmou que não há provas contra ele. O petista voltou a falar que duvida existir algum empresário, "preso ou livre", que diga que "o presidente Lula pediu cinco ou 10 centavos para ele"." (Diário Catarinense, 12/04/17)

Você decide!


Entendem, agora, por que Dilma e Lula e outros políticos corruptos diziam - e ainda se ouve dizer - que a Lava Jato estava atrapalhando a economia brasileira? É possível que esteja, porque investidores internacionais vão pensar duas vezes em investir num país deste. Mas você, que tanto reclama da corrupção, deve decidir o que quer para o Brasil.

A Globo é de Direita ou de Esquerda?


A Esquerda diz que a Globo é de Direita. A Direita diz que a Globo é de Esquerda.
A mídia diz que a audiência, não só da Globo, como de todas as TVs abertas, caiu muito nos últimos anos, mas não param as investidas, da Direita e da Esquerda, de afirmarem que nossos problemas são causados pela Globo.
Mude o canal, vire a página, troque o filme, acesse outro site, sintonize outra conversa, porque essa ladainha de culpar a Globo já cansou! Assuma sua responsabilidade!

Professor Octavio


Ainda não ouviu a entrevista com o Professor Octavio Ribeiro de Castro? Mais de cinco mil acessos no YouTube! Ele é imbitubense e cruza o estado dando aulas em cursos pré-vestibulares. Nas horas vagas, alimenta seu canal no YouTube, com mais de 50 mil inscritos! Para ouvir a entrevista, clique aqui. Para acessar o canal do Professor Octavio, aqui.

Minha definição para crime


Crime nada mais é que uma conduta que, em determinado momento da História, foi considerada pelos políticos como danosa ao governo ou à sociedade.
Sim!, são os políticos que definem quais condutas são crimes. Você, apenas, obedece! Quanto mais condutas são criminalizadas, maior é o poder do Estado, e menor é a liberdade do indivíduo.

Para registro I


O jornal local O Grande Jornal publicou matéria sobre a apresentação feita pelo prefeito de Imbituba, Rosenvaldo Júnior (PT), acerca dos 100 dias de seu governo. A apresentação foi feita em reunião com a imprensa.
Transcrevo, ipsis litteris, parte da matéria: "Rosenvaldo destacou, com base em estudos apresentados nos primeiros dias de janeiro os problemas crônicos da administração pública de Imbituba que segundo ele sofre com a falta de pessoal, baixa ineficiência, falta de conhecimento e habilidades do funcionalismo que são frutos da falta de preparo provocado pela "inexistência de diretrizes fortes de governo apontando o rumo a ser seguido". A avaliação, feita em janeiro, provocou as primeiras ações da atual administração no sentido melhor aproveitar o material humano possível recolocando profissionais concursados em suas devidas áreas.

Para registro II


Não sei se foi divulgado à imprensa quem efetuou os tais estudos, se alguma empresa ou algum especialista em administração pública. Também não sei onde se poderia acessar os dados desses estudos, para que pudéssemos verificar o que foi analisado e as conclusões técnicas apresentadas. Seria interessante aos próprios servidores de carreira da administração municipal ter conhecimento disso.
De qualquer forma, fica uma pergunta: os novos contratados em cargos comissionados, que não são concursados, participaram de algum processo seletivo, de alguma avaliação especializada, para saber se eles possuem conhecimentos e habilidades técnicas para exercerem seus cargos na administração pública municipal?

Reflexão


Quando se defende pessoas, ao ponto de transformá-las em ídolos, condena-se a mente a viver na escuridão.
Em dezembro de 2016, eu participei em Florianópolis do I Encontro de Políticos Liberais. Dentre os participantes estavam os vereadores Rodrigo Saraiva (Livres), de Fortaleza, Bruno Souza (PSB), de Florianópolis, e Felipe Camozzato (NOVO), de Porto Alegre.

Dentre muitas informações difundidas, havia uma que me chamou a atenção: as eleições, após o dia da votação, duram seis meses. Ou seja, finalizadas as eleições em outubro, a euforia e o debate sobre ganhadores e perdedores duram até a posse, e, depois, mais três meses, sobre a expectativa dos nomes de comando e das realizações dos futuros governos. As eleições, portanto, acabaram hoje: 10 de abril.

Hoje, no meu perfil em rede social, publiquei: Lembram quando eu escrevi que 100 dias eram o marco das administrações mostrarem a que vieram? Hoje é o 100° dia. O que se lê na mídia catarinense é uma choradeira de novos prefeitos colocando a culpa nos seus antecessores, frente à incapacidade de mostrar serviço, algum diferencial, nestes 3 primeiros meses. Ora, não seria a lógica de que eles foram eleitos justamente porque a população não aprovou os antecessores? Se os antecessores fossem melhores, seriam reeleitos ou elegeriam seus sucessores.
A população, em qualquer lugar do País, quer mais competência, mais austeridade na administração e menos desculpas.

Afinal, e como comentei por lá, se você possui uma empresa e contrata um novo gerente, porque o anterior era ruim, você o contratou para resolver os problemas de sua empresa e não para reclamar do gerente anterior.

Eu soube que minha publicação revoltou alguns imbitubenses. Alguns deles se manifestaram no meu perfil. A revolta não faz sentido. Isso porque eu falava "das administrações". Mas sabe como é. Muitos não possuem uma visão ampla; chegam a ser caolhos. Ou só pensam no tal "coletivo" quando estão inseridos nele.

Mas vamos continuar, aqui.

A partir de agora, os governos que não apresentaram mudanças relevantes à população sofrerão um desgaste natural. Aquele entusiasmo da vitória vai arrefecendo. O apoio popular e político vão diminuindo. Quem está governando começa a correr contra o relógio, porque ano que vem, novamente, há eleições. As coligações feitas no ano passado, para ganhar o pleito, podem sofrer abalos com as novas conjunturas político-partidárias que passam a ser tratadas no segundo semestre deste ano, para elegerem deputados, senadores e governadores. Os governantes municipais, então, dividem seu tempo entre administrar suas cidades e a angariar apoios políticos para as eleições de 2018.

Manter uma base local coesa, de forma que não seja atritada por novas composições partidárias visando a 2018 pode custar muito caro, não só para quem está governando, mas, e principalmente pra variar, para a população.

Não quero, neste momento, falar da política local. Isso eu deixo para os meus críticos de plantão.
E deixou, também, uma mensagem minha: quando se defende pessoas, ao ponto de transformá-las em ídolos, condena-se a mente a viver na escuridão.

Abraço a todos!
Desde quando iniciei este blog, em 2009, publiquei alguns artigos sobre trânsito, direcionados ou não a nossa cidade. Cito um de 2013, quando publiquei que o Sistema viário de Imbituba necessita de estudos técnicos. Ainda é atual.

Na semana passada, o departamento municipal de trânsito de Imbituba modificou o estacionamento em um pequeno trecho da Av. Santa Catarina, no Centro. O estacionamento, que antes era feito de forma transversal no lado direito da via, passou para o lado esquerdo, junto ao canteiro central da avenida.
Segundo informações no próprio site da prefeitura municipal, toda essa avenida terá o espaço de estacionamento deslocado para junto do canteiro central, de forma transversal.

Quais as vantagens e desvantagens nessa mudança?


O objetivo nesse tipo de estacionamento junto ao canteiro central e a principal vantagem são aumentar o número de vagas na mesma extensão de estacionamento. E isso se consegue só na mudança, pois no lado direito da via existem as entradas de garagem, que reduzem as vagas para estacionar.

Outra vantagem é que não se perdem vagas quando existem construções/reformas nos imóveis lindeiros. Quem nunca deixou de estacionar em frente a uma obra, pois a área estava reservada para recolhimento de entulhos ou colocação de materiais de construção, como você pode ver nesta imagem ao lado?

O estacionamento transversal também aumenta o número de vagas, e, quanto mais inclinado, se aproximando da posição em 90º (vertical), mais vagas possibilita.

Aparentemente, só se vê vantagens neste tipo de estacionamento centralizado e transversal. Mas existem os pontos negativos. E são de segurança viária.

Um deles é em relação aos condutores e ocupantes dos veículos. Quando o estacionamento é junto à calçada (o Código de Trânsito Brasileiro estabelece regras para descer do veículo), as pessoas descem do veículo e, via de regra, se dirigem a ela, para acessarem imóveis residenciais e comerciais.
No estacionamento junto ao canteiro central, as pessoas terão sempre de cruzar a via para acessar os imóveis. A não ser que transitem pelo canteiro central, até chegarem em uma faixa de pedestres, para, por meio dela, atravessarem a via.

Outro ponto negativo é a visibilidade dificultada, agora em razão da transversatilidade do estacionamento. Quanto mais paralelo (horizontal) for o estacionamento em relação à guia da calçada, maior visibilidade o condutor terá do fluxo de trânsito para efetuar sua manobra para sair da vaga e entrar nesse fluxo, e menor o espaço necessário para essa manobra. Quanto mais perpendicular (vertical) em relação à guia da calçada, menor a visibilidade e maior espaço necessário para manobrar sua saída da vaga.

Quando eu vi a mudança no estacionamento na Av. Santa Catarina, eu disse no Facebook que via como positiva a pretensão de mudança do estacionamento, pois se ganharia mais vagas. Entretanto, depois de estacionar meu automóvel no local e experimentado a mudança, eu sugiro ao Demutran que, quando estender o estacionamento centralizado ao restante da avenida, estabeleça as vagas em posição de 45º (acredito que hoje esteja em ou próximo de 60º). Sim, façam as vagas em posição de 45º, pois diminui a área necessária para manobra à ré e aumenta o espaço para o fluxo viário (entre os carros e a calçada). Essa decisão, embora reduza alguns números de vagas em toda a citada avenida, reduzirá a probabilidade de colisões entre os veículos que estão saindo das vagas e os que estão transitando na mesma via.
Não, eu não estou ganhando nada do Google para fazer propaganda. Fui conhecer o chromecast na semana passada, e vi que ele está no mercado brasileiro há quase três anos! Decidi escrever sobre ele por duas razões: primeiro, porque o achei sensacional! Segundo, porque ao comentar sobre o chromecast com alguns colegas que estão ligados nas novidades digitais, eles disseram não conhecer o pequeno equipamento para streaming, criado pela empresa Google.

Embora eu tenha acesso à Netflix, ter de conectar um notebook à TV, para poder assistir seus filmes, séries e documentários impactantes, era algo que me deixava longe de sua programação, já que não possuo uma smart TV.

Por acaso, procurando sobre algo que não tinha nada a ver com o chromecast, acabei encontrando um artigo sobre ele e imediatamente me interessei. Estava ali a solução para meu problema desconforto! Adquiri, então, um chromecast 2 (não me interessei muito em saber as diferenças entre o 1 e o 2), pagando R$ 135,00.

Para instalar em sua TV, sem ter de comprar adaptadores, seu aparelho deve estar servido de uma entrada HDMI, para conectar o chromecast, o qual vem com uma fonte de energia para conectar à tomada, se sua TV não tiver uma entrada USB para carregá-lo.

Após instalado, você deverá baixar no seu celular (com sistema Android) o aplicativo GoogleHome. Com o aplicativo baixado, é só abri-lo para que ele se conecte, via Wi-Fi, ao chromecast. Depois de conectado, basta seguir os passos indicados que já vão sendo transmitidos pela tela de sua TV.





Clique no pequeno quadrado, ao lado
da lupa, para iniciar a transmissão
Sintonizados entre si, chromecast e celular, você poderá assistir à programação da Netflix (podendo pausar, parar e voltar o que estiver assistindo), os vídeos do YouTube, do Facebook, e qualquer outro aplicativo com vídeo ou som disponível, como Spotify.

Se quiser, você também pode espelhar a tela de seu celular na tela de sua TV. Um menu, como na figura ao lado, aparecerá no seu smartphone. Clique em "Transmitir tela/áudio".
Assim, tudo que aparecer na tela do seu celular, aparecerá na tela de sua TV.

Boa diversão!
Leitor, é muito comum ouvirmos pessoas conjugando equivocadamente o verbo ser, em determinadas conjugações, independentemente do nível de escolaridade. O equívoco é tão comum quanto o "com nós", já abordado neste blog.

O que é preciso ser aprendido é simples: NENHUMA conjugação do verbo ser é grafada SEJE.
O tempo de conjugação que as pessoas mais confundem é o Presente do Subjuntivo, o qual deve ser conjugado desta forma:

Que eu seja
Que tu sejas/você seja
Que ele seja
Que nós sejamos
Que vós sejais
Que eles sejam

O tempo Imperativo, Afirmativo ou Negativo, também merece atenção para não errar:

Não sejas tu
Não seja ele/ela
Não sejamos nós
Não sejais vós
Não sejam eles/elas
Sê tu 
Seja ele/ela 
Sejamos nós 
Sede vós 
Sejam eles/elas 

Então, agora, não se engane mais!

Quer mais dicas? Clique aqui!
Olá, leitores! Depois de mais uma pausa, tentarei retornar às atividades neste blog. Para quem está acessando pela primeira vez, saiba que o conteúdo deste blog é bastante diversificado. Basta procurar a sessão "MARCADORES", na coluna à direita, e clicar para ver os diversos temas. Entretanto, eu escrevo mais sobre temas políticos. E, neste retorno, abordarei política local.
Vamos lá!

O vereador Eduardo Faustina da Rosa (PT) apresentou duas indicações ao prefeito, na mesma sessão da câmara de vereadores. O conteúdo das duas é o seguinte:

Indicação nº 123/2017 - Indica ao Excelentíssimos Presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina, Procurador Geral do Ministério Público de Contas de Santa Catarina, e Prefeito do Município de Imbituba a realização de uma auditoria em todos os contratos realizados pela Prefeitura Municipal de Imbituba referente ao Distrito Industrial nos anos de 2013 a 2016, tendo como objetivo a venda de terrenos públicos e a concessão de incentivos fiscais e econômicos para empresas instaladas no Distrito Industrial.
Indicação nº 124/2017 - Indica ao Excelentíssimos Presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina, Procurador Geral do Ministério Público de Contas de Santa Catarina, e Prefeito do Município de Imbituba a realização de uma auditoria em todas as licenças e autorizações emitidas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Saneamento e Habitação – SEDURB – do município de Imbituba, nos anos de 2013 a 2016.

Condomínio Industrial localizado na Rodovia BR 101 - Imbituba-SC

Apenas três considerações neste momento:

1ª) Por que o pedido das auditorias limita-se apenas ao último governo e não desde a criação do Distrito Industrial Condomínio Industrial?

2ª) O vereador está utilizando uma espingarda calibre 12, e acredito que a pretensão dele seria utilizar um fuzil com mira precisa.

3ª) Quando será  que o Condomínio Industrial (e não Distrito Industrial) passará a ser mesmo um Condomínio Industrial? Afinal, os lotes sequer possuem matrículas individuais registradas no cartório de registro de imóveis, assim como a infraestrutura, que seria de obrigação do Município, não foi implantada.
partidos políticos em formação no Brasil
No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encontra-se a relação de 56 partidos em formação no Brasil. Diante da quantidade expressiva, que somados aos já existentes totalizam 91 partidos no País, é necessário muita criatividade ao escolher o nome para tentar atrair filiados e eleitores. Dentre eles estão:

PDSP-Partido Democrático dos Servidores Públicos

PSPB-Partido dos Servidores Públicos e dos Trabalhadores da Iniciativa Privada do Brasil

PSPP - Partido do Servidor Público e Privado

MANANCIAL - Partido Manancial Nacional

PSPC - Partido da Segurança Pública e Cidadania

PATRI - Patriotas

PE - Partido do Esporte

PRUAB - Partido da Reforma Urbana e Agrária do Brasil

PNS - Partido Nacional da Saúde

PPLE - Partido Popular de Liberdade de Expressão Afro-brasileira

PAIS - Partido pela Acessibilidade e Inclusão Social

INOVABRASIL - Partido do Pequeno e Micro Empresário Brasileiro

PMBR - Partido Militar Brasilieiro

MCC - Movimento Cidadão Comum

PIRATAS - Partido Pirata do Brasil

ANIMAIS - Partido Político Animais

PNI - Partido Nacional Indígena.

Ainda sem constar na relação do TSE, o Partido Frente Favela Brasil, iniciado no RJ, busca apoiadores para se juntar aos demais.

Se tiver curiosidade em saber quais são os 56 partidos (se já não forem mais quando quiser saber), clique aqui.

Como se pode reduzir o número de partidos sem ferir a democracia? Simples. Nenhum centavo de dinheiro público aos partidos. Quem quiser sobreviver, que sobreviva apenas com o dinheiro dos seus filiados e apoiadores. Em 2015 foram distribuídos mais de R$ 850 milhões aos partidos, e isso faz com que incentive a criação de mais siglas.

Após eu falar sobre isso no meu perfil no Facebook, meu colega Anselmo Heidrich citou partidos australianos que defendem causas bastante estranhas, comparando-os com os partidos brasileiros. Mas há uma "pequena" diferença entre os nossos e os de lá: não são financiados com dinheiro público.
Veja os nomes citados:

                    Na Tasmânia, numa de suas províncias,               o Partido da Anti-Pedofilia.
Partido da Justiça Animal
Partido da Festa Sexual
Partido da Maconha
Partido Pirata da Áustrália
Partido dos Direitos dos Fumantes
Partido dos Entusiastas do Automobilismo

Partido Australiano dos Ciclistas
Partido Australiano dos Pescadores Rereacionais
Partido Trem-Bala para Canberra
Partido dos Fazendeiros e Operários
Partido da Austrália Madura
Partido da Ciência
Partido contra os ambientalistas
O vereador Felipe Camozzato, do Partido NOVO, ao tomar posse em Porto Alegre-RS, garantiu que pretende abrir mão de quase 90% da verba indenizatória de seu gabinete. São liberados R$ 15 mil para gastos mensais com contas de telefones celular, correspondência e combustível, por exemplo. Deste total, Camozzato quer usar somente R$ 2 mil, tendo como meta fazer uma economia superior a meio milhão de reais ao longo dos próximos quatro anos de mandato. O total da economia seria de R$ 624 mil.

Ele já afirmou, também, que não será candidato a vereador no pleito de 2020. (Fonte: site de Felipe Vieira)

Está aí um político Liberal mostrando como se deve respeitar o dinheiro pago pelo cidadão.

No último dia 10, participei em Florianópolis do I Encontro de Políticos Liberais, no qual Camozzato também estava presente, juntamente com um prefeito e três vereadores liberais na última eleição, além de outros candidatos como eu fui.

Em Florianópolis, o liberal Bruno Souza foi eleito pelo PSB e também esteve presente no citado evento.
No mês passado, Bruno Souza veio a Imbituba como convidado do programa Conexão Liberal, do qual participo, e cuja gravação poderá ser acessada neste link.
Algumas imagens apenas para registrar a última tarde de 2016 na Praia da Vila. Dia quente, sem vento, água com temperatura agradável e cristalina. Hoje foi possível ver claramente que invadiram a cidade. O que pude observar, também, é que os banhistas estão mais conscientes na manutenção da praia limpa. Espero que seja assim em todas as praias de Imbituba, por toda a temporada. Será que é pedir demais praias limpas durante os festejos no Réveillon, daqui a pouco? Para quem já esqueceu, o lixo tomou conta da Praia da Vila, na virada de 2016.


 
 


 

Praia da Vila em Imbituba-SC
 

Com estas imagens desejo um feliz 2017 a todos os leitores do blog Pena Digital! Muita liberdade, paz, esperança, saúde e trabalho!

LinkWithin

Copyright © 2012 Pena Digital.